6 de outubro de 2020

Vencer talvez, perder nem sempre, mas acima de tudo aprender!

por Sandra Paro

Perder é inevitável ao longo das nossas vidas, mas nunca imaginamos que como pais e educadores algum dia tivéssemos que ensinar as nossas crianças a se comportar quando perdem. Como fazer isso, se ganhar é tão bom?! Como podemos apoiar as nossas crianças durante o jogo e durante a brincadeira pode modificar a maneira de ela se comportar no futuro diante das inconstâncias da vida. Pois é! É vivendo que se aprende!

Aprender a perder e seguir em frente pode não ser tão fácil para as crianças, mas aqui chamamos atenção para crianças no TEA (Transtorno do Espectro Autista), que com padrões muito rígidos, nem sempre se recuperam facilmente dessas derrotas e levam então muito à sério o fato de perder.

Sabemos que exercitar a empatia é essencial, sabemos também que ganhar é motivador, mas não aprendemos tanto com a vitória como com as perdas, às vezes as frustrações nos ensinam muito, ver a alegria do outro pode sim nos alegrar e as crianças podem exercitar isso desde muito cedo.

Lendo uma obra sobre o tema, cuidei em retirar as boas dicas, em especial, as que modelam um bom comportamento para apoiar crianças durante o jogo.
E lá vão elas: a primeira é criar uma rotina própria e passar os termos antes de iniciar a brincadeira, sempre lembrando a todos os jogadores que o principal objetivo é a diversão, a brincadeira em si. Desse modo, podemos lembrar aos jogadores que todos devemos:

– Esperar a nossa vez;
– Devemos controlar nossas mãos e a nossa ansiedade e não interferir na jogada do colega;
– Se o jogador estiver para trás e começar a sentir que está chateado, reforcem que é apenas um jogo e peçam que respire fundo, é muita emoção…;
– Ensine crianças a dar bons incentivos aos jogadores, diga: “muito bom”, “bom trabalho”
Quando elas perderem:
– Relembrem sempre: é apenas um jogo, não há problema em perder;
– Ensine a iniciar o jogo desejando ao outro jogador, “um bom jogo”
– Ensine parabenizar o vencedor.
E quando o jogador vencedor estiver se sentindo muito animado e orgulhoso por ganhar o jogo, ensine mostrar bom espírito esportivo, torne-o a pessoa grata, estabeleça: “Quem ganha, guarda o jogo”.
E… tenhamos todos um bom jogo!

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Sobre o(a) autor(a)
Sandra Paro

Sandra Paro

Sandra Paro é mãe, professora, estudiosa, idealizadora da ABA+, analista do comportamento, consultora de recursos terapêuticos, corajosa, disciplinada e ensaísta para o ABA+
Produtos em destaque
Últimos artigos adicionados