22 de outubro de 2019

Eu quero que minha criança autista FALE!

É sempre um a busca incessante das famílias e dos profissionais: o desenvolvimento da linguagem em crianças e adolescentes não-verbais com autismo. Muitas estratégias produzidas através de pesquisas podem ajudar. E é claro que podem funcionar com uns e com outros não, dada a unicidade de cada indivíduo.

Observemos que a comunicação pode se dar não só pela linguagem falada, mas é possível através de suportes visuais tornar pessoas autistas capazes de se comunicar, esses indivíduos não-verbais têm muito a contribuir com essa sociedade e com ajuda de suportes visuais e tecnologias assistivas poderão revelar muitos enigmas em torno do autismo.

Mas a pergunta é: como promover o desenvolvimento da linguagem nessas crianças e adolescentes? Uma pesquisa realizada nos EUA produziu uma série de estratégias, acompanhando as publicações de Autism Speaks descobrimos que algumas estratégias podem promover o desenvolvimento da linguagem, leiam:

1. Incentive o brincar e a interação social. As crianças aprendem brincando, e isso inclui aprender a língua.

O jogo interativo oferece oportunidades agradáveis para você e seu filho se comunicarem. Tente uma variedade de jogos para encontrar aqueles que seu filho gosta. Tente também atividades lúdicas que promovam a interação social. Os exemplos incluem canto, recitação de canções de ninar e brigas suaves. Durante suas interações, posicione-se na frente do seu filho e próximo ao nível dos olhos – para que ele seja mais fácil de ver e ouvir.

2. Imite seu filho. Imitar os sons e comportamentos de brincadeira do seu filho incentivará mais vocalização e interação. Também incentiva seu filho a copiar você e se revezar. Imite como seu filho está brincando – desde que seja um comportamento positivo. Por exemplo, quando seu filho rola um carro, você rola um carro. Se ele ou ela bate no carro, você também bate no seu. Mas não imite jogar o carro!

3. Concentre-se na comunicação não verbal. Gestos e contato visual podem criar uma base para a linguagem. Incentive seu filho modelando e respondendo a esses comportamentos. Exagere seus gestos. Use seu corpo e sua voz ao se comunicar – por exemplo, estendendo a mão para apontar quando você diz “olhe” e acenando com a cabeça quando diz “sim”. Use gestos fáceis de imitar seu filho. Os exemplos incluem bater palmas, abrir as mãos, estender os braços, etc. Responder aos gestos do seu filho: Quando ele olhar ou apontar para um brinquedo, entregue-o ou aceite a sugestão para você brincar com ele. Da mesma forma, aponte para um brinquedo que você deseja antes de pegá-lo.

4. Deixe espaço para o seu filho falar. É natural sentir vontade de preencher o idioma quando uma criança não responde imediatamente. Mas é muito importante dar ao seu filho muitas oportunidades de comunicação, mesmo que ele não esteja falando. Quando você faz uma pergunta ou vê que seu filho quer alguma coisa, faça uma pausa por alguns segundos enquanto olha para ele com expectativa. Preste atenção a qualquer movimento sonoro ou corporal e responda prontamente. A rapidez da sua resposta ajuda seu filho a sentir o poder da comunicação.

5. Simplifique seu idioma. Fazer isso ajuda seu filho a seguir o que você está dizendo. Isso também facilita a imitação de seu discurso. Se seu filho não é verbal, tente falar principalmente em palavras simples. (Se ela estiver brincando com uma bola, você diz “bola” ou “rolar”.) Se seu filho estiver falando palavras únicas, aumente a aposta. Fale frases curtas, como “bola rolar” ou “bola arremessada”. Continue seguindo esta regra de “uma só aposta”: geralmente use frases com mais uma palavra do que o seu filho está usando.

6. Siga os interesses do seu filho. Em vez de interromper o foco do seu filho, siga as palavras. Usando a regra one-up, narrar o que seu filho está fazendo. Se ele estiver brincando com um classificador de formas, você pode dizer a palavra “in” quando ele colocar uma forma em seu slot. Você pode dizer “forma” quando ele sustenta a forma e “despejar formas” quando ele as despeja para começar de novo. Ao falar sobre o que envolve seu filho, você o ajudará a aprender o vocabulário associado.

7. Considere dispositivos auxiliares e suportes visuais. Tecnologias assistivas e suportes visuais podem fazer mais do que substituir o discurso. Eles podem promover o seu desenvolvimento. Os exemplos incluem dispositivos e aplicativos com imagens que seu filho toca para produzir palavras. Em um nível mais simples, os suportes visuais podem incluir figuras e grupos de figuras que seu filho pode usar para indicar solicitações e pensamentos.
Os profissionais que acompanham o tratamento da sua criança são as pessoas adequadas para orientar tal programa ou implementação no tratamento, ouça-os, eles têm formação adequada para auxiliar no processo e lembre-se tudo é possível!

Fonte: https://www.autismspeaks.org/expert-opinion/seven-ways-help-your-child-nonverbal-autism-speak

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

1 comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Sobre o(a) autor(a)
ABA +

ABA +

Produtos em destaque
Últimos artigos adicionados