11 de setembro de 2019

Autismo: O amor ao ritual

autismo Software para Autismo software para autistas Aplicativo para Autismo Aplicativo para autistas o que é aba ABA para autismo ABa para autista Autismo Leve Autismo Severo Autismo Brasil ciência ABA aba autismo sintomas autismo lei para autistas jogos para autista programas para autista Transtorno do Espectro Autista TEA

A consistência, a previsibilidade e a rotina fixa podem ser preferências no autismo, aliás esses comportamentos são apontados pelo DSM-V como padrões repetitivos e interesses restritos pronunciados.

Algumas rotinas são inofensivas e até ajudam no planejamento, mas outras podem causar sérios inconvenientes.
As limitações podem prejudicar o convívio social e criar muitas circunstâncias desagradáveis.
Já ouvimos de diversos profissionais que é bom variar, mudar o trajeto da escola, variar no lanche, ensinar a usar vários dos banheiros disponíveis, não somente um, para não criar hábito fixo. Analisando um exemplo: uma criança só toma o seu leite, no café da manhã, em uma caneca específica, se essa caneca quebrar, haverá problemas!

Alguma regularidade na vida não é ruim.

Mas se a criança encontrar regularidade em tudo e não conseguir lidar com as mudanças, a vida pode complicar.
As crianças com autismo tendem a ser ansiosas, tornar as coisas mais previsíveis pode ser uma solução para combater essa ansiedade.
Para elas o mundo é imprevisível, planejar e às vezes controlar o ambiente para garantir que não haja muitas surpresas pode ajudar.
Os indivíduos com autismo são únicos, como todos os outros e alguns podem apresentar menos instabilidade às mudanças ou “surpresas”, mas há uma quantidade considerável que lidam com a ansiedade tentando manter o controle de tudo ao seu redor.

Lembrem-se: dentro de limites razoáveis as rotinas não são um problema, mas quando ela representa uma dificuldade no dia-a-dia?

Quando a rotina ajuda?

  • Na escola: esclarecer o planejamento do dia no quadro é uma atitude simples que poderá ajudar todas as crianças;
  • Em situações que exigem cumprimento de regras: qualquer circunstância que favoreça a socialização ou o cumprimento das regras sociais pode ajudar no desenvolvimento e prevenir crises de ansiedade.
  • Nas AVD’s: as atividades de vida diária são importantes, pois geram autonomia, a rotina matutina de acordar, por exemplo, usar o banheiro, escovar os dentes, colocar a roupa, calçar os sapatos, entre outras atividades cotidianas, tudo voltado para o planejamento do dia transcorra dentro da conformidade.

Quando eles podem se descontrolar, observe e perceba se é necessário uma antecipação:
Inclusão de novos alimentos: procure ajuda do psicólogo responsável para que ele crie uma intervenção paulatina para essa necessidade;
Sair ou entrar em casa: antes de sair, faça com ele o passo a passo do que irá acontecer: onde vocês vão, o que farão, se necessário, numere as ações, isso pode facilitar a cooperação, se você estiver com pressa pode não ajudar no entendimento dele, então tenha planejamento e muita paciência.
Pessoas novas no ambiente: sejam visitantes ou entregadores, prestadores de serviços podem causar muita ansiedade, avisar que a pessoa virá para o ambiente pode ajudar.

Lugares novos: antecipar é a chave para o entendimento, mas às vezes o imprevisível acontece, aja com naturalidade e diga: “Opa! Aconteceu um imprevisto!”, torne isso tranquilo.

Organizando o ambiente familiar: às vezes modificar um pouco o ambiente pode ser útil, mude um móvel, troque o lado do sabonete na pia, acostume a criança a essas pequenas mudanças e ela não estabelecerá padrões fixos, ou ficará mais acostumada às mudanças.

Transição: alterne brinquedos, atividades ou tarefas, muitas vezes as rotinas fixas surgem dos pais, por se sentirem mais seguros e aliviados mantendo a criança calma, mas alternar é importante para criar diferentes hábitos e fugir das fixações.
Compre marcas diferentes de creme dental ou produtos que a criança usa cotidianamente, mude, pode ser saudável até mesmo para toda a família.

Quando a rotina pode ser um problema?

A ansiedade para pessoas com autismo pode ser dolorosa e um pouco de regularidade deve ajudar a manter isso sob controle.
No entanto a dependência da rotina pode gerar pânico no caso de mudanças bruscas.
Observe que ninguém pode controlar as variáveis possíveis o tempo todo e então imprevistos acontecem. Garanta que a criança possa passar o dia com planejamento, mas também superando a imprevisibilidade.
Tente sempre mudar a rotina antes que ela ganhe domínio completo. Ou então ela se tornará um problema.

  • A rotina está realmente prejudicando a criança ou qualquer outra pessoa?
  • Está ajudando-os a gerenciar suas ansiedades ou os deixando mais ansiosos?
  • Isso torna as coisas mais fáceis ou mais difíceis?
  • Isso está afetando a capacidade do indivíduo de aprender?
  • Está afetando sua vida social?
  • Está afetando a capacidade de nossa família de realizar as atividades do dia-a-dia ou de sair em férias ou em viagens?
  • Como me sentiria se essa rotina fosse a mesma em alguns anos?

As respostas virão claramente ou com alguma reflexão, mas você deve sempre se atentar para a melhoria da qualidade de vida de todos na família. Isso é essencial! Se alguma rotina ajudar, adote-a, se ela se transformar em um problema, mude de atitude, procure ajuda profissional, faça intervenções e procure viver bem!

Gostou? Envie para aquela pessoa que precisa ler isso.
Conheça também nosso sistema ABA+, software para integração e supervisão de terapias de pessoas Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Sobre o(a) autor(a)
ABA +

ABA +

Produtos em destaque
Últimos artigos adicionados